Posts Tagged ‘vinhos brancos’

Listinha da Semana: 30 de dezembro de 2016

2 de janeiro de 2017

Vinho Verde

Muralha de Monção – Sonda Supermercado

Paço de Teixeiró, Quinta do Côtto 2015  – Mistral

Quinta da Aveleda 2015  – Pão de Açucar

 Dão Encruzado

MOB (encruzado e bical)  – Adega Alentejana

Quinta dos Roques 2014 – encruzado  – Decanter

Rias Baixas

Castelo do Mar DO  Albariño 2015   – Wine.com.br

Albarinõ Camino del Pelegrino 2012  – Mistral

 

Clique aqui e ouça os áudios da semana.

Clique aqui e ouça os áudios da semana.

Anúncios

Folha de São Paulo: Brancos Solitários

6 de novembro de 2015

folha

Brancos solitários

Há varias formas de pensar e escolher o vinho. Às vezes, escolhemos uma garrafa para acompanhar uma comida. Consideramos os sabores e estruturas de um prato e tentamos harmonizar com o estilo do vinho. Vinhos mais tânicos para pratos gordurosos, vinhos adocicados para acompanhar sobremesa, ou um branco mineral e salgadinho para ir com ostras, e por aí vai.

Uma outra forma de escolher o vinho, também comum, pode ser em função de uma ocasião. Um vinho divertido e frutado para uma noite com amigos, um branco leve e descompromissado para uma tarde na piscina, um espumante festivo para o aniversário de um familiar.

Nos dois casos, colocamos o vinho como um acompanhante, com a função de ser o pano de fundo de situações em que outros elementos também são importantes.

Contradizendo um pouco essa ideia, temos no mundo do vinho a expressão “vinhos de meditação” para designar aqueles que exigem nossa total atenção. São grandes vinhos, geralmente com potencial de envelhecimento e que estão no ápice. As vezes são vinhos de sobremesa, com sua doçura equilibrada e grande corpulência. Raramente são brancos secos.

Mas há brancos que enganam. Na sua delicadeza, trazem perfumes sutis, mas vibrantes, boca refrescante, mas intensa que, por mais leves que sejam, ficam melhores sozinhos.

Nada de um peixinho, nada de frutos do mar, nada de aperitivos sobre eles. Eles exigem um olhar gentil e atento, sendo protagonistas para serem desfrutados na íntegra.

Riesling Augustin Florent 2014
Florzinhas brancas e uma nota de tangerina. Delicado e intenso, pede atenção cuidadosa
QUANTO R$ 53
ONDE Carrefour; carrefour.com.br

Aimé Roquesante Cuvée Réservée Rosé 2014
Rosas brancas, tangerina e pêssego maduro. Frutadão, com uma pontada ácida que faz salivar
QUANTO R$ 90,20
ONDE World Wine; tel. (11) 3085-3055

Cono Sur Reserva Especial Sauvignon Blanc 2013
Elaboradíssimo. Perfumado, com notas de frutas tropicais e uma nota amanteigada em boca; excelente equilíbrio entre peso e delicadeza
QUANTO R$ 74,80
ONDE La Pastina; tel. (11) 3383-9303

Quinta do Monte D`Oiro Lybra Branco 2012
Pêssego, damasco, amêndoas salgadas. Grandão em boca, oleoso e refrescante ao mesmo tempo, lembra casca de laranja
QUANTO R$ 157
ONDE Mistral; tel. (11) 3372-3400

 

Folha de São Paulo: Branquelos uruguaios

24 de abril de 2015
7 FOLHASP pdf URUGUAI  20mar15

Clique na imagem para ampliar.

 

Sabor que mora em Portugal (Folha de SP)

6 de junho de 2012

Achei que seria clichê escrever uma coluna de vinhos brancos em pleno verão. Faz calor e esses vinhos são frescos, leves, menos alcoólicos…Muito óbivio? Que nada. O consumo de vinho brando no Brasil é ridículo em comparação aos tintos. É algo como menos de 20% do total.

Clique na imagem para ampliar

Folha de São Paulo

Sabores diferentes da mesma uva (Folha de SP)

23 de maio de 2012

Um dos conceitos mais difíceis de entender no mundo do vinho é o “terroir”. Na região da Borgonha, ele é levado ao extremo. Para eles, “terroir” é um pedaço de terra com características climáticas e geológicas tão específicas que ele é diferente daquele outro logo ao lado.

Clique na imagem para ampliar.

http://acervo.folha.com.br/fsp/2012/05/16/24//5787012


%d blogueiros gostam disto: