Posts Tagged ‘greco di tufo’

Do sul da Itália, prazeres intensos (Folha de SP)

24 de agosto de 2012

Do sul da Itália, prazeres intensos

Dar uma volta pelo sul da Itália nunca é uma ideia ruim. E se você estiver sem tempo de chegar até lá, garanto que é possível dar essa voltinha em algumas taças.

Em comum, o sul tem o clima mediterrâneo que banha quase todas as regiões, enchendo suas uvas de calor, dando vinhos plenos em álcool, ricos por natureza. Os tintos são potentes e os brancos cremosos.

Claro, nem tudo é cor-de-rosa. As regiões produziram, por décadas, muita quantidade de vinho diluído, evidenciando pouco do caráter que elas têm potencial para produzir.

Depois, vinícolas investiram em uvas internacionais, mais conhecidas, para chamar a atenção. Hoje, as coisas vêm mudando, e as uvas locais são protagonistas, oferecendo uma gama quase infinita de sabores.

Dos brancos, a Campania tem uma das maiores expressões: a uva greco. Nos solos chamados de “tufo”, dá brancos amplos e minerais na denominação de origem que leva seus nomes, Greco di Tufo. Gigantes.

Na Calábria, um estilo tão curioso quanto apetitoso de tinto leve é produzido: a uva gagliopo dá vinhos suculentos e leves que jorram nas taças nos verões abafados de sua costa mais oriental.

A Sicília é, sem dúvida, a região que gera mais curiosidade. Talvez por “O Poderoso Chefão” ou pela presença imponente do Etna. A uva nero d’avola reina, com seus vinhos densos, apimentados, cheios de frutas e toques de bom vermute.

E a Sardenha, colonizada pelos espanhóis, tem uvas que remetem a esta herança. Cannonau é a garnacha e seus vinhos são densos, cheios, com frutas negras no aroma, puro prazer. Que tal uma volta por lá?

Greco di Tufo Vesevo 2010
Maracujá maduro e pedra de isqueiro. Cheio, ótima acidez
Onde Casa Flora, tel. 0/xx/11/2842-5199
Quanto R$ 59,62

Cannonau di Sardegna i Fiori Pala 2009
Ervas secas, couro e fruta. Delicioso, com taninos fundidos
Onde Cellar, tel. 0/xx/11/5531-2419
Quanto R$ 42

Fatasciá Nero d’Avola 2009
Fruta e tabaco. Cheio de sabor e com taninos firmes
Onde Decanter, tel. 0/xx/11/3702-2020
Quanto R$ 55,55

Puglia Primitivo Feudi di San Gregorio 2009
Bem frutado, lembra morangos maduros no nariz e em boca
Onde Worldwine, tel. 0/xx/11/3085-3055
Quanto R$ 85
Folha de São Paulo

Inverno na praia (Folha de SP)

14 de junho de 2012

Folha 13/06:

Julho está aí. É  quando estamos em marcha mais lenta, esperando o frio pra hibernar. Uma boa pensar em vinhos para o momento. Como geralmente aproveitamos para sair da cidade, é bom fazer um seleção de vinhos de acordo com o local.

Clique na imagem para ampliar.

Folha de São Paulo

Listinha de compra para o finde prolongado

2 de setembro de 2010

Leitores queridos. Gostaria de compartilhar com vocês a delícia de ver meu filho Benjamin completar 1 ano, neste dia 3 de Setembro. Portanto, irei celebrar com ele e com a família um churrasquinho modesto.
Coincidentemente os três vinhos escolhidos para o feriado e comemoração são da Casa Flora que está com um catálogo cada vez melhor. Os três vinhos harmonizam bem com calor, os três combinam com carne, os três são interessantes e típicos das regiões de onde vêm.
Greco di Tufo – publiquei aqui o por que

O Cava Don Román Reserva Imperial é delicioso, encorpado, com fruta e uma nota de evolução, bom corpo. Nunca tomei com carne, mas vou experimentar no feriado e depois conto.

O terceiro vinho é o Duorum, meu queridinho do dia a dia, frutado, com toques de baunilha, adora maresia, fica mais frutado na praia do que na sala de aula. Um tinto delicioso, de corpo meio leve, mas com taninos e retrogosto perfumado que vai combinar com o climão do feriado e a festa do filhote.

Portanto, provavelmente vocês não me leerão nos próximos dias. Perdoem me.

Meus alunos meus professores

29 de agosto de 2010

foto: lacasitaverde.blogspot.com

Acho que foi o Winicot, pediatra- analista, que escreveu no prefácio de um livro dele algo como “obrigado a meus pacientes por me ensinarem”. Eu tenho a sorte de vivenciar isto todos os dias: meus alunos são meus maiores professores.

Na última quinta feira foi a segunda aula do nosso curso básico em Harmonização. O tema eram as carnes, os cortes e como harmonizar com diferentes tipos. Coloquei uma costela, carne com osso e, portanto, com um sabor característico e um mignon, clássicão, molinho, suculento, com um molho de mostarda bem levezinho. Coloquei 4 vinhos para harmonizar. Um branco e três tintos. Fomos degustando e descobrindo como diferentes tipos de vinho combinam com as diferentes estruturas das carnes, uns funcionam com umas, outros funcionam com outras. Já tínhamos feito todas as combinações possíveis ((8 no total) e o branco tinha mostrado força e extrato suficiente para as duas carnes, ficando muito bom com o mignon. Bom, até que um aluna minha decidiu pegar a decoração do prato, um raminho de tomilho-limão ultra fresco e colocar em cima da carne e voltar a experimentar com o vinho branco…. a sensação?

BOOOOOMMM na boca! Uma explosão de sabor da carne, um retrogosto maravilhoso do vinho que ficou gigantesco por ter sido elevado a uma potência monumental pela presença dos aromas do tomilho, tão parecidos aos do vinho. O vinho em questão? Um Greco di Tufo do produtor Vesevo.

foto: firstpress.blogspot.com

Greco di Tufo é uma das três DOCG da região da Campania (as outras duas são o também branco Fiano di Avelino e o tinto Taurasi). Greco é o nome da uva e Tufo é o nome de uma das cidades que compõem a região da DOCG, mas também é o nome de um solo, um tipo de calcário típico dali. O vinho tinha um extrato incrível, muito frutado, muito saboroso e os aromas da Itália, que são sempre os das ervas típicas daquele país, incluindo as ervas aromáticas tipo tomilho. Daí a feliz combinação. Vinho branco com carne? Sim, por favor.


%d blogueiros gostam disto: