FOLHA DE SÃO PAULO: Garnacha: mediterrânea e selvagem

by
Garnacha: mediterrânea e selvagem

Espanhola na origem, hoje a uva garnacha é, sem sombra de dúvidas, responsável por alguns dos vinhos mais interessantes produzidos na bacia mediterrânea.

Apesar da origem, a garnacha é, talvez, mais conhecida como grenache, seu nome francês. Na França, a denominação de origem mais famosa de vinhos de grenache é Châteauneuf du Pape, no Rhône. Apesar de não ser produzido 100% com a uva, geralmente ela é a protagonista no corte. Também há tintos potentes no Languedoc e no Roussillon, onde se produzem tintos fortificados, vinificados como os Portos.

No século 13, a uva viajou com os espanhóis que colonizaram a ilha da Sardenha, na Itália. Lá é chamada de cannonau e é a variedade responsável pelo vinho mais importante da ilha, o Cannonau di Sardegna.

Eu disse espanhola na origem? Sim. Mas espanhola, sobretudo, no caráter. Ela tem uma natureza selvagem, de taninos firmes, frutosidade suculenta no meio de boca e força alcoólica.

Foi essa capacidade de produzir muito álcool que fez com que, durante muito tempo, ela fosse vista como uma uva menos nobre.

Nos anos 1990, passou a ser um ícone da nova viticultura –a viticultura que olha para trás, para o velho, para as origens, buscando uma certa essência cultural.

Isso aconteceu quando produtores redescobriram a região do Priorato, na Espanha, e notaram que vinhas muito velhas e sofridas de garnacha davam vinhos densos, ricos, poderosos e longevos, como muitos dos que encontramos hoje.

PUNTO Y COMA 2009
Apimentado, com notas de geleia de frutas e chocolate amargo. boca cheia e taninos firmes, frutado e rico
Origem Catalayud (Espanha)
Quanto R$ 74,80
Onde Almeria (tel. 11/3492-3204)

YALUMBA OLD BUSH VINE 2013
Frutas frescas, pimenta e ervas secas. Taninos finos, magrinho, com um toque vermutado no final. Precisa de decantação
Origem Barossa (Austrália)
Quanto R$ 149
Onde Kmm (tel. 11/3819-4020)

VIA TERRA 2010
Intenso, frutado, muita geleia e algo de ervas provençais e baunilha. Bem frutado em boca, taninos presentes, mas redondos, final intenso
Origem Terra Alta (Espanha)
Quanto R$ 98
Onde Península (tel. 11/3822-3986)

CHÂTEAUNEUF-DU-PAPE ABEL PINCHARD 2011
Lembra carne, temperos e tem fruta também. Firme, tânico, com boa acidez e um final delicado
Origem Ródano (França)
Quanto R$ 170
Onde Casa Flora (tel. 11/2186-7676)

Tags: , , , , ,

3 Respostas to “FOLHA DE SÃO PAULO: Garnacha: mediterrânea e selvagem”

  1. Nilson Cesar Says:

    Uma boa síntese!
    Como várias outras uvas oferece um gama de estilos que variam de acordo com tipo de solo, altitude, clima, pois ela se adapta bastante.

  2. Fernanda Vianna Says:

    Adorei o resumo da epopéia dessa uva, incrível sua versatilidade e o Punto y Coma é simplesmente divino, perfeita relação custo-benefício!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: