Pinot noir pelo mundo (Folha de SP)

by

folha

Pinot noir pelo mundo

Ainda bem que, quando a escola de vinhos da Borgonha me deu o título de instrutora oficial de vinhos da região no Brasil, não me fizeram jurar fidelidade à pinot noir de lá.

De maneira geral, sabemos: ela precisa de climas frescos. Na verdade, mais do que frio, o ideal para ela é que, no verão, fase final do amadurecimento dos açúcares, taninos e aromas, a temperatura suba lentamente, para que ela desenvolva complexidade aromática.

Também, com verões que se aquecem devagar, os taninos se mantêm finos, a acidez fica equilibrada e os níveis de álcool não são exagerados.

Mas fugi. Mesmo sabendo disso tudo, fugi para longe, para lugares de clima e solos diferentes para ver o que ficava da linda pinot. De maneira geral, todos os produtores de outras regiões se refugiam em zonas mais frescas para produzi-la.

De Alicante, na Espanha, um pinot surpresa! Tinha toda a força e o jeitão denso espanhol, mas com frescor e frutosidade que são tão típicos da uva. O produtor teve o cuidado de escolher uma zona alta e fresca para plantar seu vinhedo.

Fiquei imensamente satisfeita com outro vinho, também mediterrâneo do Languedoc. Claro que a região onde é plantada é mais fresca do que a costa, e o resultado é suculento.

Na Itália, em volta da cidade de Brescia, terra do clássico espumante feito pelo método tradicional, Franciacorta, o clima influenciado pelos Alpes permite um amadurecimento ótimo. Mas o estilo italiano, terroso, também fica impresso.

E, finalmente, uma casa de vinhos modestos, mas sempre fáceis de tomar, a argentina Nieto Senetiner faz um pinot frutado que dispensa complexidades e entrega gostosura.

ENRIQUE MENDOZA 2007
Mais firme que todos os outros, com toque de amêndoas torradas, tabaco e fruta. Cheio, abaunilhado, mas fresco
QUANTO R$ 88
ONDE Península (tel. 0/xx/11/3822-3986)

NIETO SENETINER RESERVA 2011
Exuberante, muito aroma de geleia, super frutado, com pouca acidez
QUANTO R$ 41,80
ONDE Casa Flora (tel. 0/xx/11/2842-5199)

DELMAS 2008
Muita fruta e rosas. Delicado, lembra morangos frescos
QUANTO R$ 72
ONDE De la Croix (tel. 0/xx/11/3034-6214)

BORGO LA CACCIA 2006
Geleia de fruta e toques terrosos. Boca firme, saborosa, mas delicada, bem seca
QUANTO R$ 91,20
ONDE Vino Maestro (tel. 0/xx/11/3966-6655)

Tags: , , , , ,

Uma resposta to “Pinot noir pelo mundo (Folha de SP)”

  1. KJ Says:

    Cool! Outro dia tomei um Pinot Noir da Alemanha e gostei muito. Frutadasso e bem delicado. Abs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: