EWBC – Terlan Cantina – Alto Adige

by

Terlan Kellerei (site)

No domingo, último dia de Conferência do EWBC, depois de estar na região de Tramina, seguimos em direção norte, para a pequeniníssima região de Terlan. Na vinícola local, também em forma de cooperativa a produção está focada em vinhos de altíssima gama. Ela existe desde 1893 e há mais de 100 associados fornecendo uvas, sempre cultivadas por métodos “naturais”.

On Sunday, the last day of the Conference EWBC, after being in the region of Traminer, we headed north to the tiny region of Terlan. In the local winery, also working as cooperative, production is focused on wines of the highest range. It exists since 1893 and there are more than 100 members providing grapes, always cultivated by “natural” methods.

O solo é MUITO mineral...entendemos

Pudemos conferir o orgulho pelos solos, pela terra e pelas tradições locais. Mas, principalmente pelo solo tão mineral, como a placa no chão na entrada da vinícola demonstra. Estamos falando de solos de origem vulcânica, ao pés das montanhas Tschöggelberg, entre 250 e 900 metros de altitude. Os vinhedos estão sobre uma rocha vulcânica com pedaços grandes de minerais conhecidos como quartzos porfíricos. Na superfície, que não é muito profunda, há areia bem solta e porosa, e um pouco de silte.
A produção aqui é basicamente de brancos, com níveis de acidez altíssimos e com potencial absurdo de envelhecimento. Tomamos vinhos de 1959 até 2010, numa degustação vertical, quase no sentido físico, com vinhos muito intensos e vertiginosos. Por causa dessa acidez e densidade, a maioria dos vinhos brancos aqui, depois de fermentados, ficam algum tempo sobre as leveduras, dependendo do estilo de vinho que se quer produzir. A idéia deles não é buscar tanto os aromas primários, mas sim os secundários de terciários. Os vinhos podem ficar em tanques de inox, tanques de madeira, ou barricas. O que também influencia muito o estilo dos vinhos é o tempo passado em contato com as leveduras, que pode, tranquilamente, chegar a 10 anos.

We were able to check out their pride for the soil, land and local traditions. But mainly they are proud of the mineral soil, as the plate on the floor at the entrance of the winery shows. We’re talking about soils of volcanic origin, at the foot of the  Tschöggelberg mountains between 250 and 900 meters. The vineyards are on volcanic rock with large pieces of mineral known as quartz porphyry. On the surface, which is not very deep, there’s  loose and porous sand, and a little silt.
The production here is basically white, with very high levels of acidity and an absurd potential of aging. We had wines from 1959 to 2010, a vertical tasting, almost in a physical sense, with very intense and vertiginous wines. Because of its acidity and density, most white wines here, after fermentation, get some time on the yeast, depending on the style of wine that you want to produce. Their idea is not to seek both primary aromas, but the secondary tertiary. Wines can be matured in stainless steel tanks, wood tanks or small oak barrels. What also greatly influences the style of the wines is the time spent in contact with the yeasts, which can easily get to 10 years.

Eles têm uma linha básica, “classic line” para ser tomada mais jovem. A linha “Vineyard Line” vem de vinhedos selecionados e ficam em grandes barricas de madeira. A linha mais top é apenas dos vinhedos de maior qualidade e geralmente ficam por uns 10 anos sobre as leveduras…muita classe e cremosidade.

They have the “classic line” to be tasted younger. The “Line Vineyard” comes from selected vineyards and are in large wooden barrels. The top line is just from the vineyards of higher quality and are usually aged for about 10 years on the yeast … classy and creaminess.

e naõ estão todos aqui...and they're not all here. photo:kellerei-terlan.com. tks!

Vale dar uma olhada no site deles para mais info,e aqui vão minhas impressões em 24 jóias impressionantes, algumas com mais de 50 anos. Com Klaus Gasser, que apresentaou a degustação, aprendi uma palavra que dá pra usar bastante: tensão. Nestes vinhos se aplica bastante, pois são brancos de textura apertada, principalmente quando jovens. É uma textura que lembra à dos taninos, mas não no sentido de adstringência, mas no sentido de que sua mucosa fica apertado…então lá vai:

It is worth taking a look at their website for more info, and here are my impressions on 24 stunning jewels served, some of more than 50 years. With Klaus Gasser, who presented the tasting, I learned a word that is really important to describe these wines: tension. For these wines we can use this expression a lot, because they have this truly tight texture, especially when young. It’s a texture that reminded me of those from firm tanins, not in the sense of astringency, but in the sense that the mouth gets that tight feeling … so here it goes:

PINOT BIANCO

2010: nariz explosivo com flores brancas e pêra. Na boca tem muuuuita acidez, cremosidade, uma nota de chá verde final encorpado e quente. Enorme. Explosive nose with white flowers and pear. In the mouth it is soooo acid, with creamy texture, notes of green tea,  a full-bodied and warm aftertaste. Huge.

Vorberg Riserva 2009 – garrafa magnum. Do vinhedo Vorberg. Delicado, com aromas de mel, uvas em calda e um toque bem mineral. Na boca é fresco e estruturado, saboroso e cremoso. From Vorberg vineyard. Delicate, with aromas of honey, grape syrup and a touch of mineral. The palate is structured and fresh, tasty and creamy.

Vorberg Riserva 2006 – garrafa magnum. é bem maduro, com mel, baunilha e pêra em calda. Na boca é bem cremoso, tem menos acidez, é quente e ricão, seco e duro no final, que também é longo. It is very ripe, with honey, vanilla and pear in syrup. The palate is very creamy, it has less acidity, is warm and rich, dry and hard in the end, which is also long.

Vorberg Riserva 2004 – garrafa magnum. Nariz amanteigado, com cedro, é alcoólico e tem um toque mineral mais evidente. Na boca é super expressivo, muito saboros, longo e cremoso, com grande acidez. Buttery nose, with cedar, its more alcoholic and has a more evident   mineral touch. The palate is super impressive, very tasty, long and creamy, with great acidity.

Vorberg Riserva 1999 – garrafa magnum. Safra mais fria, o nariz é bem mineral, tem menos fruta e um toque tostado, com bastante álcool. Conforme ganha temperatura, lembra mais pedra de isqueiro e leveduras. Na boca é ácido, salgado, saboroso e bem tenso, apertado. Cooler harvest, the nose is more mineral,less fruity and a toasty touch, with plenty of alcohol. When it gets warmer, it resembles flint and yeasts. In the mouth it  is sour, salty, tasty and very “tense”, tight.

Terlano 1987 – aromas de cera de abelha, geléia de fruta cítrica e palha…na boca é muito seco e alcoólico, lembra um destilado envelhecido, whisky talvez. Tem um final longo e cítrico. Aromas of beeswax, citrus jelly and straw. In the mouth it is very dry and alcoholic, reminds me of aged distillate , maybe whiskey. It has a long and citric  finish.

Terlano 1959 – pé de moleque, casca de queijo, um toque de fermento velho, muito tostado, com notas de pedras quentes. Na boca é cremoso, muito intenso, retrogosto gigante, com notas de mel com própolis, mel, castanhas caramelizadas, grande estrutura, alcoólico e perfumado. Ficou horas evoluindo para notas mais minerais, meladas e tostadas. Caramelized walnuts, cheese bark, a touch of old yeast, very toasty with notes of warm stone. The palate is creamy, very intense, giant aftertaste, with notes of honey and propolis, caramelized nuts, great structure, alcohol and fragrant. It evolved for hours into more mineral notes, like caramel of brown sugar.

Garrafas mais antigas.Some of the oldest bottles. photo:kellerei-terlan.com. tks!

CHARDONNAY

Kreuth 2009 – do vinhedo do mesmo nome. Bem perfumado e limpo, com um toque floral. Na boca é delicado, cremoso e com um toque frutado saboroso. Um pouco de leveduras e álcool no retrogosto.From the vineyard of the same name. Very clean and perfumed with a floral touch. The palate is delicate, creamy and tasty with a  fruity touch. A bit of yeast and alcohol in the aftertaste.

Terlano 1998 – nariz discreto, com um toque cítrico e mineral, estilo Chablis. A safra teve clima fresco e percebe-se. Na boca tem acidez metálica, com grande estrutura, quadrado, “tenso”…Discrete nose with a hint of citrus and mineral, Chablis style. The vintage was cool and we can smell it.  Steely acidity in the mouth, with great structure, square structure, “tense”..

Terlano 1996 – nariz muito explosivo, perfumado, com muita fruta (maçã e pêssego) e baunilha. Na boca é fresco e equilibrado, com uma mistura de cremosidade e tensão. Very explosive nose, fragrant with lots of fruit (apple and peach) and vanilla. The palate is fresh and balanced with a blend of creaminess and tension.

Terlano 1994 – beeem mineral, com notas de giz e terra. Depois aparecem umas notas de manteiga e fruta, com pêssego branco. Na boca é redondo, liso, cremoso, fundido, longo e equilibrado. Exemplo incrível de como o tempo fez bem ao equilíbrio em boca deste vinho. Reeaaaly mineral, with hints of chalk and earth. Later come a few notes of butter and fruit, with white peach. The palate is round, smooth, creamy, melt, long and balanced. Incredible example of how time did well to the balance in the mouth this wine

SAUVIGNON BLANC

Quarz Terlano 2009 – Os Quarz são uma seleção de vinhas com mais de 50 anos de vinhedos com mais minerais de quartzo no solo. Os vinhos ficam em grandes barricas de carvalho usado, sobre as leveduras. Este é bem típico da Sauvignon em solo super mineral: grama cortada, aspargo, mas com um lado mais maduro. Na boca é muito ácido, tem muito sabor, muito extrato, mas tudo ainda muito arisco, falta que os elementos se fundam. The Quarz line is a selection of vineyards of over 50 years. They have more quartz minerals in the soil. They age in large used oak barrels, and rest on the yeast. The nose is typical of  Sauvignon in super mineral soils: cut grass, asparagus, but with a more mature side. The palate is very acid, has tons of flavor, very pointy still,some time in bottle and the elements will melt together. 

Quarz Terlano 2008 – bem diferente, aparecem mais as notas de leveduras e uns toques de pedra, de tostado, tudo bem mineral. Na boca tem um acidez absurda, como uma agulha no maxilar, achei que ele ia rachar no meio. Mas o vinho é bem saboroso, como uma limonada fresca. Tem anos pela frente. Quite different, there are more notes of yeast and touches of stone, something burnt, really mineral.  In  mouth has an incredible acidity , like sticking a needle  in the jaw, I thought my teeth were gonna break so pointy was the wine.  But the wine is very tasty like a fresh lemonade. It will last many years.

Quarz Terlano 2006 – bem perfumado e cítrico. Na boca é mais redondo, com uma textura doce, acidez mais fundida, bem frutado, só que um pouco mais curto.Very fragrant and citric. In mouth it is round,with a sweet texture, acidity more fused and fruity, just a little shorter.

Terlano 1991 – safra fresca, não é dos vinhedos de Quarz. O vinho é menos aromático , mais simples. Mas tem boa fruta em boca, parece que mordi um pêssego fresco, bem frutado. From a cool vintage, it is not from Quarz vineyards. The wine is less aromatic, simpler, but it has good fruit in the mouth, as if I’m bitting on fresh peaches. 

24 joias líquidas minerais...24 mineral liquid jewels.

TERLANER

O Terlaner é um corte típico da região, com uma base em média de 60% de Pinot bianco, 30% de Chardonnay e o resto de Sauvignon Blanc. Terlaner is a typical blend from the region, with approximately 60% Pino bianco, 30% Chardonnay e the rest Sauvignon blanc.

Nova Domus Riserva 2008 – Nova Domus é o nome de um castelo construído em no século XIII que fica no pico de uma montanha e se vê da vinícola. O vinho tem umas notas de leveduras, na boca é cremoso e, de novo, tem muita acidez, é frutado, com um final longo e picante. Nova Domus is the name of a castle built in the thirteenth century at the peak of a mountain and we can see it from the winery. The wine has a few notes of yeast in the mouth is creamy and, again, has a lot of acidity, is fruity, with a long and spicy finish.

Nova Domus Riserva 2005 – Garrafa magnum. Nariz mais cítrico, mas mais quente e alcoólico. Na boca é mais duro e tenso, com um final ainda pouco fundido, um pouco curto. Citric nose, but warmer, more alcoholic. In the mouth is hard and tense, with a finish little melted, a little short. 

Nova Domus Riserva 2003 – Garrafa magnum. Nariz mais perfumado, com toques florais e um pouco lácteo. Na boca é bem cremoso, tem ótima acidez, bem cremoso e tenso. Tem final seco, picante, lembra pimenta rosa e carvão. More perfumed nose with floral touches and a little milky. The palate is creamy and has great acidity. It has a dry finish, spicy, pink pepper and a touch of charcoal .

Nova Domus Riserva 1999 – Garrafa magnum. Amanteigado, tostado, com toques de baunilha, camomila e muito mineral. Buttery, toasty, with hints of vanilla, chamomile and very mineral.

Terlaner 1986 – safra equilibrada. Nariz com toques de pêssego grelhado, amanteigado e toques de pedra. Na boca é cremoso, frutado e fresco, longo e fundido. Nose with touches of peach grilled, buttery and touches of rock. The palate is creamy, fruity and fresh and long.

GEWURZTRAMINER

Lunare 2009 – bem floral, com notas de mel, tudo muito intenso. Na boca é cremoso, com grande acidez, uma leve doçura, um toque amargo que lembra café e um final alcoólico, lembra pedas queimadas no retrogosto. Super floral with notes of honey, all very intense. The palate is creamy, with great acidity, slightly  sweet, a bitter touch, like coffee and an alcoholic final , the aftertaste reminds me of something burnt, like stones.

PINOT NOIR

Montigl Riserva 2009 – bem floral, lembra rosas e violetas, muito perfumado. Boca delicada, redondo, cremosa, com boa acidez e final bem tânico. Super floral, roses and violets, very fragrant. Delicate mouth, round, creamy, with good acidity and good tannic end.

LAGREIN

Porphyr Riserva 2008 – bem frutado, com jaboticaba e pimenta do reino. Toques de carne e violeta. Na boca é fresco, cheio, frutado, absurdamente tânico, com final terroso. Fruity, with cassis and black  pepper. Meaty and violety. The palate is fresh, full, fruity,absurdly tannic , with an earthy end.

Porphyr Riserva 2002 – notas de frutinhas vermelhas, como cereja e também uma nota de carne, presunto cru, com aromas mais abertos. Na boca é fresco, frutado, mais tânico, muito duro e seco, com pimenta do reino e tostado no final, mas com bastante fruta. Notes of red berries like cherries and also meaty, like jamón, more intense. The palate is fresh, fruity, more tannic, very hard and dry, with black pepper and something roasted in the end, but with enough fruit.

Tags: , , , , ,

Uma resposta to “EWBC – Terlan Cantina – Alto Adige”

  1. The wines of Alto Adige, in tweets | The Morning Claret Says:

    […] others have provided a detailed rundown of this splendid day (Notably Alexandra Corvo and Katie Myers) , with far more enlightening tasting notes than I could muster, I will instead […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: