A primeira D.O. do Brasil / Brazil’s first D.O.

by

Abaixo reproduzo o texto oficial para a DO Vale dos Vinhedos. Abaixo o mapa da região, com a D O em cor rosa. Depois, o mapa da região demarcada.

Here is the official text for Brasil’s first D.O. Vale dos Vinhedos. Here is the map of the location and then you have the region map, zoomed in.


Produção vitícola:

– As uvas deverão ser totalmente produzidas na região delimitada pela I.G. e conduzidas em espaldeira.

– A irrigação e o cultivo protegido não são autorizados. A colheita é feita manualmente.

Viticulture

– Grapes have to be produced within the limited area. 

– Irrigation and protected cultivation are not authorized. Hand harvesting only.

Cultivares autorizadas:

– Tintas: Merlot, como cultivar emblemática e Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Tannat como variedades complementares.

– Brancas: Chardonnay como cultivar principal e Riesling Itálico como variedade complementar.

– Para espumantes (brancos e rosados): Chardonnay e/ou Pinot Noir como variedades principais e Riesling Itálico como variedade auxiliar.

Grapes

– Red: Merlot as the main one. Cabernet Sauvignon and Franc, Tannat as complementary.

– White: Chardonnay as the main grape. Riesling Itálico is the complementary.

Limites de produtividade:

– Para uvas tintas: 10 toneladas/ha ou 2,5 kg de uva por planta.

– Para uvas brancas: 10 toneladas/ha ou 3 kg de uva por planta.

– Para uvas a serem utilizadas na elaboração de espumantes: 12 toneladas/ha ou 4 kg de uva por planta.

 Productivity

– Reds: 10 tons/ hectare or 2,5 kg per plant

– Whites: 10 ton/hectare or 3 kg per plant

Produtos autorizados:

Vinhos tintos

– Varietal Merlot: Mínimo de 85% da variedade.

– Assemblage Tinto: Mínimo de 60% de Merlot, podendo ser complementado pelas demais variedades autorizadas (Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Tannat).

– A comercialização somente poderá ser realizada após um período de 12 meses de envelhecimento.

Vinhos Brancos

– Varietal Chardonnay: Mínimo de 85% da variedade.

– Assemblage Branco: Mínimo de 60% de Chardonnay, podendo ser complementado por Riesling Itálico.

– A comercialização somente poderá ser realizada após um período de seis meses de envelhecimento.

Espumantes

– Base Espumante: Mínimo de 60% de Chardonnay e/ou Pinot Noir, podendo ser complementado por Riesling Itálico.

– Elaboração somente pelo Método Tradicional (champenoise).

– O processo de tomada de espuma deverá durar no mínimo nove meses.

No rótulo deve constar os termos” brut” ( até 15 g/l açúcar) ; extra-brut (até 5 g/l ) e os nature (zero g/l açúcar)

 Authorized Wine styles

RED

Merlot: has to have at least 85% of this variety

Blend: has to have minimum 60% Merlot and the rest can be complementary varieties.

The wine can only be marketed after 12 months of ageing in cellar.

WHITE

Chardonnay: minimum 85% of the variety

Blend: minimum 60% Chardonnay. The rest can be the complementary variety.

The wine can only be marketed after 6 months of ageing in cellar.

SPARKLING

Base wines have to be at least 60% Chardonnay and/or Pinot noir. Riesling Itálico is authorized as a complementary variety.

– Traditional Method (second fermentation in bottle).

– The process of “prise de mousse” should last at least 9 months

– On the label it must have the classification of nature (no sugar), extra-brut (until 5g/l sugar) and brut (until 15g/l sugar).

Outras normas:

– A chaptalização e a concentração dos mostos não serão permitidas. Em anos excepcionais o Conselho Regulador da Aprovale poderá permitir o enriquecimento em até um grau.

– Poderá haver a passagem dos vinhos por barris de carvalho, não sendo autorizados “chips”e lascas ou pedaços de madeira.

Other norms

– Chaptalization and must concentration are not allowed. When needed, regulatory council can allow must sugar enrichment.

– The use of oak barrels is allowed. Oak Chips or other forms are not permitted.

Processo de rastreabilidade:

A Aprovale possui um Conselho Regulador responsável pelo regulamento de uso da Indicação Geográfica do Vale dos Vinhedos. Cabe a este conselho fazer o controle e fiscalização dos padrões exigidos pela normativa da atual I.P. e da futura D.O. O Conselho Regulador mantém cadastro atualizado das vinícolas solicitantes da certificação e utiliza informações do Cadastro Vitícola do Ministério da Agricultura, coordenado pela Embrapa Uva e Vinho, para determinar a origem da matéria-prima.

Para controle da certificação são utilizadas as declarações de colheita de uva e de produtos elaborados, a partir das quais retira as amostras para análises físico-químicas, organolépticas e testemunhais. Estas amostras são lacradas e codificadas. Essa sistemática permite a rastreabilidade dos produtos.

Traceability process

There is a regulatory council responsible for the regulation of use of geographical indication. They control and supervision standards established by the Geographical Indication, future D.O. This council maintains an updated record of the wineries requesting certification information and uses the register of the Ministry of Agriculture, coordinated by Embrapa Grapes and Wine, to determine the source of raw material.

To control the certification, statements  of grapes harvest and wines produced  are usedFrom this material, samples are taken for physico-chemical, organoleptic and testimonials. These samples are sealed and coded. This system enables product traceability.

Padrões de identidade:

Os produtos somente recebem o certificado após comprovada a origem da matéria-prima. 100% da uva deve ser procedente da área demarcada. Os vinhos também precisam ser aprovados nas análises físico-químicas e na avaliação sensorial (degustação às cegas), realizada pelo Comitê de Degustação, composto por técnicos da Embrapa, associados da Aprovale e da Associação Brasileira de Enologia.

Identitiy Standards

The products only receive the certificate  after proofing the origin of the material. 100% of the grapes must come from the limited area. The wines must also be approved in the physical-chemical analysis and sensory evaluation (blind tasting) conducted by the Tasting Committee, composed of technicians from Embrapa, Aprovale and members of the Brazilian Association of Oenology.

Tags: , , ,

4 Respostas to “A primeira D.O. do Brasil / Brazil’s first D.O.”

  1. Naiára Martini Says:

    Olá Alexandre!

    Apenas para acrescentar: D.O. Vale dos Vinhedos é a primeira D.O. de Vinhos do Brasil. Existem outras Denominações de Origem no Brasil, porém, para outros produtos.

    O Vale dos Vinhedos foi, na realidade, a primeira Indicação de Procedência do Brasil, e essa é outra classificação que, com a chegada da DO, será extinta.

    Obrigada!

  2. Rafael Botto Says:

    Senti falta da sua opinião, Alê. O que achou da criação da D.O.? Beijos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: