Porto branco é demais!!!

by

Porto branco é demais!

Acreditem ou não, queridos leitores, quando vim de Portugal, trouxe na mala, além das óbvias garrafas, alguns embutidos como chouriço e morcela defumados e um queijo de cabra curado. Claro que quando abri minha mala, parecia que tinha um bicho lá dentro, mas todos sobreviveram e aterrizaram, como bons portugueses que são, são e salvos a terras brasileiras.

E, ainda, como bons portugueses que são, aguentam bem um tempo na geladeira. Dentre as garrafas trazidas, trouxe um  não tão óbvio Porto branco, extra dry, como é chamado. Nós, brasileiros, temos bastante intimidade com o vinho do Porto tinto, mas infelizmente já nem os portugueses consomem a versão branca e podemos chamá-lo de espécie em extinção. A produção e consumo são minúsculos, foi até um pouco difícil encontrá-lo lá mesmo na cidade do Porto.

Isto dito, o post é para tentar convencê-los da importância de conhecer e apreciar esta delícia. São vinhos não muito exuberantes no nariz, mas mesmo assim, têm notas de amêndoas, um pouco de pêra em calda e toques levemente minerais. Eu tomei numa taça grande de vinho tinto, mas depois passei para uma menor onde, realmente, podemos perceber melhor seus aromas. Na boca, por mais que o nome nos leve a crer ser algo “extra seco”, ele é, na verdade, um vinho delicadamente adocicado, rico, cremoso, com um toque perfeito de acidez e grande extrato, leia-se, muito sabor a fruta e muito longo no comprimento.

Deixei o queijo um tempão fora da geladeira e fatiei os embutidos em fatias grossas e coloquei na frigideira em fogo alto. Eles soltam uma gordurinha que rapidamente se queima e vira uma crostinha, enquanto que dentro ficam molinhos e gelatinosos. Precisa eu dizer que as notas amendoadas do vinho branco ficaram deliciosas com o gosto carnoso dos embutidos? E que a gordura do vinho se fundiu com aquela textura sequinha típica dos queijos de cabra? Pois bem, saiam da frente de seus computadores e corram comprar um Porto branco. E, quando voltarem e abrirem a garrafa, leiam um pouco dos segredos da produção deste vinho no site oficial do Instituto do Vinho do Porto, clicando aqui.

Tem coragem de recusar este Porto branco?

6 Respostas to “Porto branco é demais!!!”

  1. ANTONIO MATOSO FILHO Says:

    Coincidentemente, comprei e abri um porto extra dry Burmester há duas semanas. Os outros 16 enófilos presentes fizeram algo como que vista grossa. Para mim sempre foi uma curiosidade pois a última vez que bebi um branco foi há mais de 20 anos e queria reviver essa experiência que já ia distante na memória. Qual não foi a minha agradável surpresa!!! Realmente, o vinho ligeiramente doce, mas não se aplica para sobremesa, muito pelo contrário, me lembrou mais um Jerez e se mostrou muito apropriado para um aperitivo. Só recomendo atenção especial porque ele é muito alcoólico e, como aperitivo, tem que ser consumido com muita moderação, senão o apreciador já vai estar muito além do desejado quando chegar o prato principal (rs rs rs!!!)

    • sommelierprofissional Says:

      Olá Antonio, obrigada pelo comentário. Como eu estava tomando o vinho como principal, e não como aperitivo, fui ingênua e não observei o que você bem comenta: a quantidade. Me excedi um pouco, não tive ressaca, mas minha boca acordou assustadoramente seca. É necessária a moderação, aliás, para todas bebida alcoólica. um forte abraço

  2. Ricardo Says:

    Oi Alexandra!
    Os portos brancos podem envelhecer! Não tanto como os tintos, mas depois de uns 10-15 anos eles ficam (pra quem gosta de jerez) oxidados e muito bons. Algo como um Chateau Chalon ou um Oloroso. Eu acho que sempre vale a pena – mas denovo, pra quem gosta do lado oxidado da coisa.

  3. Helena Mattar Says:

    Nossa Ale, vocês está 100% correta! Vinho do porto branco é bom, interessante, mas pouco consumido. Acho uma delícia tomar como apeitivo com alguns belisquetes! Cai sempre bem! Pena que lá no Vito quase ninguém pede…

    Boa dica!😉

    Bjs,
    Helena

  4. Gustavo Silveira Says:

    Uma pena não ser muito fácil encontrar um Porto Branco, aqui pelo Brasil.

  5. Azeredo Says:

    Cara Alexandra,

    O Porto Branco que bem comenta, é o mais simples da linha de brancos e é usado para fazer o Portonic (Porto branco + água tonica) bebido como refresco no verão. Neste calor de 33 graus que passamos em Sampa, é otima pedida. Serve tambem como aperitivo e, pode ser usado como você fez, contrastando com os embutidos e queijos.
    Atualmente em Portugal, muitas companhias estão a engarrafar Portos brancos colheita ou com idade, estes para serem bebidos em momentos de meditação. Recomendo-lhe provar o excepcional Dalva Branco colheita 1952 e o excelente Ferreira 10 anos branco.
    Como ressalva, o queijo que trouxe é de ovelha e não de cabra. Não consegui pela foto, saber se é Queijo da Serra, de Nisa ou de Azeitão. Estes queijos feitos com flores e folhas de cardo (planta da região), são de alto teor de gordura (>60%), com aromas intensos, por tal compatibilizou perfeitamente com o Porto Branco adocicado (contraste), alcoolico (untuoso), acidulo (fresco), cheio de aromas.
    Aceite, prezada Alexandra, minha saudações Lusas

    Azeredo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: