Nova Indicação de Procedência no RS

by

A Associação de produtores de vinho de Pinto Bandeira acaba de receber seu do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) o certificado de Indicação de Procedência para  os vinhos produzidos na região. Silvia Mascella Rosa postou em seu blog (http://vinhoverdeamarelo.blogspot.com) a notícia com detalhes e me autorizou reproduzir o texto aqui. Ela é jornalista e escreve sobre vinhos há bastante tempo. Silvia tem um texto preciso, lógico e sempre fui fã do estilo de sua escrita.  Abaixo, seu texto sobre a no IP.

Pinto Bandeira agora é IP (Indicação de Procedência)

Dia 7 de outubro, foi entregue em Pinto Bandeira, um dos distritos de Bento Gonçalves (RS), o selo definitivo da segunda Indicação de Procedência brasileira, em uma cerimônia que reuniu proprietários das vinícolas participantes e a diretoria da Asprovinho (Associação dos Produtores de Vinho de Pinto Bandeira).
A notícia é importante para todo o setor, pois coloca regras e define padrões de qualidade para todas as vinícolas que se submeteram ao longo processo de validação da certificação de origem, modificando sua tecnologia e garantindo que os produtos que recebem o selo estão seguindo normas rígidas.
Boa parte desses processos foram intermediados e definidos pela Embrapa, na pessoa do Dr. Jorge Tonietto, engenheiro agrônomo que vem dedicando sua carreira ao estudo e à operacionalização das indicações de procedência (IP) e denominações de origem (DO) brasileiras.
A Vinícola Aurora é uma das participantes do projeto que tem seu Centro de Tecnologia e uma boa parte de seus cooperados na região de Pinto Bandeira. Com a nova IP a Aurora vai tirar do papel os planos de construir por lá sua cave para espumantes do método Champenoise.
É lá também que estão outros importantes produtores de espumantes muito diferenciados. Os principais são a Don Giovanni (que tem uma charmosa pousada), cujo enólogo chefe é o atual presidente da Asprovinho, Luciano Vian, a Vinícola Geisse, do premiado enólogo chileno Mario Geisse, onde trabalha o competente enólogo Carlos Abarzúa e a vinícola Valmarino, do enólogo Marco Antonio Salton (cujos vinhos da cepa Cabernet Franc estão entre os melhores que já provei entre os brasileiros).

O terroir de Pinto Bandeira (o distrito está pleiteando sua independência da cidade de Bento), tem uma geografia um pouco diferenciada do restante da região, com altitudes médias maiores e terrenos mais antigos – basálticos e vulcânicos, além de um clima um pouco mais fresco, que faz com que a colheita seja ligeiramente mais tardia do que no Vale dos Vinhedos, por exemplo.
A Indicação de Procedência favorece os produtores e seus vinhos, valorizando a marca e trazendo mais atenção à uma região que é linda e pouco explorada pelo turismo local.
Parabéns à Asprovinho, à Embrapa e ao vinho brasileiro como um todo, por essa importante conquista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: