A loja de vinhos e a falta (profunda) de civilidade

by

Hoje não vou falar de vinhos. Vou falar de cidadania. Por favor, leia até o fim.

Eu, como cidadã, acredito que todos, sem exceção, temos responsabilidade pelas coisas que nos rodeiam. Principalmente quando somos empresários, responsáveis por um terreno, por pessoas que trabalham conosco, clientes, funcionários, fornecedores, colaboradores e aqueles que simplesmente passam em volta de nosso estabelecimento e utilizam nossa calçada. Devemos cuidar da limpeza da calçada, da faixada, etc.

Bem, eu penso assim. Mas parece que o Sr. proprietário da Grand Cru, na esquina da Bela Cintra com a Tietê não pensa. Essa esquina onde fica a loja deles é meu caminho da roça, pois algumas casas acima fica a escola de meu filho. Eu sou pedestre e o levo no carrinho, pois ele ainda não anda. Pois bem, o sr. proprietário decidiu que não quer que passemos pela frente de sua calçada. Há 14 dias uma obra privada dele na passagem pública me obriga a me jogar, juntamente com o carrinho de meu filho na rua, para seguir o caminho. Ah, você dirá, mas ele está melhorando a calçada. Verdade. Mas ele, se fosse um cidadão que se preocupa com os outros e um empresário responsável,  teria feito uma passarela para pedestres. Faria primeiro uma faixa da calçada, deixando a passagem livre. Depois faria a outra, com a faixa reformada já pronta como passarela.

Todo santo dia que eu passo por lá me vejo sendo ridicularizada por ele e sua reforma egoísta.

O que o sr. proprietário da Grand Cru provavelmente não se liga, até porque ele não está nem um pouco preocupado com os outros, é que eu sou cliente dele. E que isso abala de maneira profunda minha impressão dele como empresário, como pessoa e como fornecedor. Por mais que lá dentro tudo esteja tinindo, reluzente e “chique”, por fora da loja a essência de seu proprietário fica exposta: a preocupação dele com os outros é zero. foto aqui

Tags: ,

22 Respostas to “A loja de vinhos e a falta (profunda) de civilidade”

  1. Cristiano Says:

    Prezada Alexandra,

    Como cidadãos temos que ajudar a melhorar sempre, mas gostaria de colocar minha posição como empresário.

    Se um cliente vem reclamar de algo comigo, tento resolver o mais rápido possível. Muitas vezes fico constrangido, pois nem estava sabendo do caso, por mais atento que eu seja. Mas tive um caso de cliente que antes de reclamar comigo foi divulgar seus problemas na internet. Hoje é muito fácil e a reputação de uma empresa pode ficar manchada, no meu caso por que um cliente preferiu fazer a reclamação pública primeiro e depois resolver o problema (que teria resolvido facilmente se ele falasse comigo primeiro).

    Minha lembrança a você é que se você tivesse falado antes com eles, talvez o problema já estivesse resolvido e você publicaria aqui mais que o problema, publicaria como você ajudou a solucionar de forma rápida um problema de todos. Lembre-se que falhas todas as empresas têm, como você gostaria de ser tratada nas suas?

    Att.,

    Cristiano

    • sommelierprofissional Says:

      Caro Cristiano
      agradeço muito, muito mesmo o seu comentário, que é útil até para esclarecer alguns pontos não expostos. Entendo sua postura, eu mesma tenho uma empresa, tenho uma escola de vinhos e estou 100% de acordo com você. E, tanto estou de acordo que fiz o que você cita: entrei na loja na semana passada (como comentei, sou cliente) e falei com a pessoa que me atende lá que, inclusive foi prestativo e me disse que a obra já estava acabando. No entanto, Cristiano, a obra só aumentou. A calçada ficou mais bloqueada ainda, com bloqueios com aquelas fitas amarelas e cavalos de metal impedindo a passagem. Tanto na ida quanto na volta de pegar meu filho na escola (como disse, sou pedestre em SP), eu tenho que me deparar com esse desrespeito comigo, com meu filho, com TODOS os paulistanos e, sobretudo, com cadeirantes que, na grande maioria das vezes, não têm quem os empurrem. Hoje foi a gota d’água (faz 14 dias que encaro essa humilhação), pois, como não podia passar, fiquei nervosa, tive que tirar as fitas amarelas (pois não poderia jogar o carrinho do meu bebê na rua, os carros sobrem a Bela Cintra muito velozes) e fui ridicularizada pelos manobristas da loja em frente, aquela dos alfajores. Portanto, Cristiano, perceba a profundidade do dano causado a mim, a meu filho e aos pedestres como um todo. Se a reputação da empresa ficar manchada, entenda por favor, é porque o dono do estabelecimento se expôs a isso não considerando os demais. Um abraço.

  2. Fritz Says:

    Praticamente do lado de casa tem um pet shop (chamado Centro de Saúde Animal Jardins) que ocupa toda a calçada da rua. Suas vagas de estacionamento foram projetadas com o tamanho errado e carros de médio e grande porte não cabem nas vagas. Ocupam quase toda a calçada, de modo que é impossível passar com cadeira de roda ou carrinho de bebê.

    Reclamei com a subprefeitura de Pinheiros, que é a responsável pela região, e escrevi para a Mara Gabrilli, vereadora em quem votei. A vereadora sequer me respondeu (e não terá mais meu voto). Já a subprefeitura disse que o fiscal não encontrou irregularidade no “ato da vistoria”. Falei que poderia enviar fotos e vídeos da irregularidade, já que a calçada está SEMPRE tomada por carros. Resposta: não adianta mandar nada, “a fiscalização só pode autuar com constatação”. Sugeri então que o fiscal medisse o tamanho das vagas. E aí não me responderam mais.

    Às vezes acho que só eu me importo com esse tipo de coisa em São Paulo. Que só eu gostaria de ir até a padaria sem ter que me jogar na rua com o carrinho de bebê. O governo não fiscaliza ou não fiscaliza direito; prédios, casas e lojas, mesmo de milhões de reais, não cuidam de suas calçadas; é tudo uma zona e ninguém reclama! E o pior é que o IPTU continua caríssimo (só o prédio onde moro paga uns 300 mil reais por ano –é um prédio com muitos apartamentos).

    Enfim, bom ver que não sou o único que fica irritado com a falta de civilidade de alguns –muitos– empresários e moradores da cidade.

    Abs!

    PS: pra não dizerem que não falei de vinhos, se o dono da Grand Cru quiser reparar de alguma forma o transtorno que está causando, sugiro pedir algumas garrafas do Condrieu Les Chaillées de l’Enfer 2007, de Georges Vernay…🙂 Tomei no Grand Tasting e fiquei maravilhado, mas o preço é absurdo: quase R$ 500 a garrafa.

    • sommelierprofissional Says:

      Fritz, sem comentários….eu vivo isso todo os dias. para você entender, este é meu outro lado. http://pedestresp.blogspot.com/
      mas, como pessoas que reclamam o tempo todo não são muito populares, resolvi publicar neste meu blog de vinhos que tem mais acessos.
      Sobre a Mara. Vote nela, não perca a confiança. Ela sempre me responde e faz de tudo para ajudar. Mas ela está um pouco sozinha, pois é a única que de fato faz a diferença. Sobre as reclamações, a prefeitura de sao paulo tem um prazo de 40 DIAS (!!!!!!!) para resolver, ou seja: quando chegam lá, a obra já acabou e vc fica com cara de imbecil. não queira saber quantos números de protocolo eu tenho aqui. é ridiculo. abraço

  3. Fritz Says:

    Alexandra, muito bom seu outro blog (esse aqui também, claro). Bobagem minha deixar de votar na Mara por um ou dois emails não respondidos. Mas ela também não disponibiliza telefone no site dela. Vereador e deputado precisam ser acessíveis ao eleitor. Sempre. Têm que que ser que nem pediatra.🙂

    Mas vou dar mais uma chance pra Mara. (por coincidência: ela se mudou faz pouco tempo para o prédio onde moro –então, certamente, deve conhecer a pet shop de que falo).

    Abs!

  4. Paulo Sampaio Says:

    Realmente um absurdo… Acho que você deveria rever de quem compra seus vinhos. Se eles tratam assim um cliente como você, imagina o que fariam com um cliente comum.

  5. sommelierprofissional Says:

    resposta de um vendedor da grand.

    fabiano_sommelier@grandcru.com.br wrote:

    Boa noite,

    Vejam onde o ego de uma pessoa pode chegar!

    “Acima da Grand Cru é impossível trafegar com carrinho de bebê, já que existem diferenças de altura nos pisos, então o que ela escreveu já começa sem argumento!

    Sem conhecer a pessoa, que alias é muito intriga e idônea, o Sr Victor Levy e sem dar algum tipo de defesa e até mesmo debater, veja o que ela escreveu.

    Lembro que esta mesma pessoa discordou e alterou sem fundamento algum da historia do Champagne em uma das nossas reuniões da confraria dos Sommeliers, e hoje escreve sobre espumantes!

    Eu pensei que poderíamos fazer uma reforma para beneficiar e melhorar ainda mais a região!

    Mais uma das perolas da Alexandra Corvo!

  6. Paulo Sampaio Says:

    Sinceramente, às vezes é melhor não responder do que escrever uma resposta indecifrável. Não entendi uma linha do que o preposto da Grand Cru escreveu…

  7. jb Says:

    resposta estúpida e arrogante.

    melhor seria responder à altura do texto, dando satisfação, pedindo desculpas, coisa e tal.

    se não tem capacidade para tanto, poderia ficar quieto.

    que pena!

    abração, alexandra!

    • sommelierprofissional Says:

      eu tenho vontade de chorar. o que as pessoas não entendem, e tomam a questão de maneira pessoal, é que eu estou prestando um serviço A TODOS OS PAULISTANOS ao pedir, respeitosamente, sem agredir ninguém, que respeitemo-nos uns aos outros. Eu não acho que estou pedindo muito. Queria ver se fosse a mãe dele tentando passar. Se ele a chamaria disso ou daquilo. Eu sou cidadã, mãe, trabalhadora, pedestre e contribuinte. Tenho direito à calçada. Aliás, estamos falando de um crime contra a humanidade, já que está na declaração universal dos direitos dos homens, o direito de ir e vir. Detalhe: ele fala tão mal de mim, mas antes desta reclamação, estava pedindo vagas na minha escola para os funcionários da loja irem assistir. Então, não devo ser tão péssima profissional assim.

  8. Fritz Says:

    O mais divertido foi o cara escrever intriga no lugar de íntegra. Sensacional.

  9. Vitor Says:

    Nos bairros ricos, nos bairros pobres, tem muita gente que simplesmente acha que pedestre tem mais é que se foder: http://www.flickr.com/photos/fodaseopedestre/
    #tristeza

  10. G Says:

    Postura deplorável da importadora, ao invés de ajudar o cliente responde com agressões, independente do cunho da critica, essa deve ser recebida de maneira afável e com presteza, mais triste ainda é a postura do sommelier que respondeu, afinal de contas deveria ter sido o primeiro a responder com elegância e gentileza.
    Indignação !!!!

  11. Willians Says:

    Eu achava que a Grand Cru tivesse pessoas mais capacitadas e preparadas para responder em nome da empresa um assunto de ultilidade publica. No entanto me responde um Sommelier arrogante e prepotente! Parabéns Grand Cru pela conduta. Comigo, no mínimo, menos 10 clientes!

  12. claudia reis Says:

    Prezado Sr. Fabiano,

    Nunca fui a sua loja mas, depois da resposta que o senhor deu a uma reclamação extremamente justa, não fiquei com a menor curiosidade de conhecê-la. Por outro lado, conheço bastante o trabalho e a seriedade da sommelière Alexandra Corvo e de sua excelente escola.

    Arrogância e falta de educação, sr. Fabiano, não combinam em nada com o mundo do vinho.

  13. Mariinha Says:

    Estou aqui via JB. Adorei o blog e já está nos meus favoritos. Tenho cada vez menos paciência com essa gente, multiplicam-se como erva daninha. No trânsito, então, parecem estar sempre competindo pra ver quem leva maior vantagem. Espertos!

    O comportamento e a resposta confirmam o dito popular: por fora bela viola por dentro pão borolento.

    Mariinha

  14. francine Says:

    VAMOS AO CQC !!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: