Listinha da semana – 18 de abril

18 de abril de 2014 por

Listinha da Semana – 18 de abril

Taça Bordeaux Madison 600Ml – Onde: Mickey Presentes

Taças Bordeaux de Cristal Venice 584ml – Onde: Lojas Americanas

Taças ISO Cristal Bohemia – Onde: Ciclo das Vinhas

Taças Riesling heart to heart Riedel – Onde: Spicy

Taça para Vinho Riserva Cabernet 390ml – Onde: Pão de Açúcar

Decanter Rona – Onde: Mickey Presentes

Decantador de 1,4 litros em vidro cristalino Casual Entertaining – Onde: Spicy

Decanter sem Tampa Elegance LUMINARC 1 Litro – Onde: Pão de Açúcar

 

Áudios da imagessemana

14/04 - Acabando com as dúvidas sobre temperatura adequada para o vinho

15/04 - Os melhores tipos de taça para degustar cada tipo de vinho

16/04 - Afinal, para quê serve um decanter e quando deve ser utilizado?

 

Estranho no Ninho – Folha de SP 16/04

17 de abril de 2014 por

folha

 

Estranho no Ninho

PÁSCOA: coelhinhos, ovinhos e seus ninhos De chocolate. Um Porto para tanto cacau? Sim. Mas não. Para variar, resolvi convidar uns estranhos para o ninho.
Maury, Banyuls, Mavrodaphne… Estranhou? Ótimo! É desses tintos de sobremesa (leia-se doces) que vou falar. E do Moscatel de Setúbal, um branco, mais conhecido.


Quando jovens, os três tintos têm aromas de frutas vermelhas ou negras, boca doce, taninos finos e grande equilíbrio de acidez. Por isso, combinam bem com chocolates amargos com coberturas ou recheios de frutas vermelhas.
O Setúbal, por ser branco, funciona melhor com sabores cítricos. Quando são de estilo mais envelhecido, acompanham lindamente chocolates com frutas secas, porque estes são seus principais
aromas -nozes, amêndoas, tabaco, figo seco e tâmaras, pra citar alguns exemplos.


Esses vinhos, joias históricas da viticultura mundial, vêm de regiões antiquíssimas. Maury e Banyuls, em Roussillon, sul da França, estão perto de um porto (Collioure) que exportava vinho já no século 14.
Nessa mesma época, o vinho de Setúbal, em Portugal, tornava-se célebre. Patras, que dá nascimento ao Mavrodaphne de Patras, no norte do Peloponeso, Grécia, toma seus vinhos há mais de 4.000 anos.

Todos vêm de zonas quentes visitadas por ventos -Setúbal se refresca com o Atlântico, no Roussillon sopra a tramontana, e em Patras, o meltemia vem do mar Egeu.
Todos esses vinhedos se encontram em paredões escarpados, dificílimos de trabalhar. 


Por que o ser humano insiste, há tantos séculos, em produzir vinhos ali? Dá para entender provando.


MAVRODAPHNE OF PATRAS CELLAR
RESERVE – TSANTALI
ORIGEM Grécia
tabaco, couro, uva-passa e figo seco. Textura
fina, doçura delicada, como um chocolate
recheado de fruta
QUANTO R$ 49,90
ONDE LPH Brasil (tel. 12/3322-4173)

MOSCATEL DE SETÚBAL DOC 2011
ORIGEM Portugal
Caramelo e geleia de laranja no nariz.
Cremoso, doçura delicada que também lembra
fruta cítrica em compota
QUANTO R$ 48
ONDE Portus Cale (tel. 11/3675-5199)

BANYULS GRAND CRU 2000
ORIGEM França
Nariz bem evoluído, com notas de tâmaras,
vermute e casca de laranja. Na boca é fino,
com ótima acidez que refresca a doçura
QUANTO R$ 122
ONDE Tastevin (tel. 21/2633-8866)

MAS DE MAS MAURY 2008
ORIGEM França
Aromas de cravo e algo de terroso. Na boca é
doce, firme, com taninos finos, lembra
chocolate amargo
QUANTO R$ 161,50
ONDE Decanter (tel. 11/3702-2020)

Listinha da Semana – 11 de abril

11 de abril de 2014 por

Listinha da Semana – 11 de abril 2014

Aroma Mineral
Riesling Frey-Sohler Branco – D’Alsace – Onde: Santa Luzia

Aroma Frutado
Bourgogne Roche de Bellene –  Onde: premiumwines.com.br

Aroma de Animais
Cahors Chateau Pineraie 2010  - Onde: Tastevin

Dobradinha

Masseria Trajone Sicilia Nero D’Ávola 2010 –  Onde: Vinci

Chateau Lalande Listrac-Médoc 2010 – Bordeaux – Onde: Santa Luzia

Montepulciano d’Abruzzo Vasari Barba 2011 – Onde: Mistral

 

Ouça – Áudio da semana:

images

08/04 - Alexandra explica sobre os diferentes aromas dos vinhos

09/04 - Vinhos com aromas de animais

10/04 -

Listinha da Semana – 04 de abril

10 de abril de 2014 por

Listinha da Semana – 04 de abril 2014 – Chile e Argentina

Chile

Errazuriz Reserva Chardonnay 2012 – Onde: Vinci

De Martino Viejas Tinajas (Cinsault) 2013 – Onde: Decanter (Melhor outras cepas tintas – Descorchados 2014)

De Martino Gallardia Del Itata Muscat 2012 – Onde: Decanter

Talinay Sauvignon Blanc 2012 – Onde: World Wine (Safra 2013 – Melhor Sauvignon Blanc – Descorchados 2014)

Para conhecer quando for ao Chile:

Cacique Maravilla
Maitia Aupa Pipeño

 

Argentina

Casarena Single Vineyard Agrelo Petit Verdot 2011 – Onde: Magnum (Melhor outras cepas tintas – Descorchados 2014)

Casarena 505 Cabernet Sauvignon  2012  - Onde: Magnum

Catena Chardonnay 2012 – Onde: Mistral

Catena Zapata Adrianna Chardonnay White Bones 2009 – Onde: Mistral (Safra 2011 – Melhor Vinho Branco – Descorchados 2014)

Para conhecer quando for à Argentina:

Passionate Wines
Zorzal Wines
TintoNegro

 

Uruguai

Viñedos de los Vientos Tannat 2011 – Onde: Wine.com.br

Viñedos de los Vientos Estival 2012 – Onde: Wine.com.br

Listinha da Semana – 28 de Março

29 de março de 2014 por

Listinha da Semana – 28 de Março – Vinhos da Africa do Sul 

Guardian Peak Merlot 2010 (Stellenbosch) – onde: Vinci

The Winery of Good Hope Pinotage Bush Vine 2011 (Stellenbosch)  – onde: Qual Vinho 

Danie de Wet Cabernet / Merlot Bio 2011 De Wetshof  – onde: Mistral

Robertson Sauvignon Blanc 2011 – onde: Vinci 

Mullineux Family Wines White 2011 (Swartland)  – onde: Qual Vinho 

Espumante J.C. Le Roux La Fleurette Rose (Stellenbosch) – Onde: wine.com.br 

Ken Forrester Petit Pinotage 2012 (Stellenbosch) – onde: wine.com.br

Mont du Toit BlouVlei 2008 (Paarl) – onde: KMM Vinhos

 

imagesÁudios da Semana

 

24/03 - Semana sobre a produção sul-africana de vinhos

25/03 - Os tipos de uvas que são cultivadas na África do Sul

26/03 - Vinhos da região de Stellenbosch, na África do Sul

27/03 - Vinhos de Chenin Blanc, a uva mais plantada da África do Sul, vão bem com pratos com cebola frita

Listinha da Semana – 21 de março

27 de março de 2014 por

Listinha da Semana – 21 de março 2014

Wakefield Estate  Riesling 2013 (Clare Valley – South Australia)   Onde: Wine Store 

Hardys Nottage Hill Merlot 2012 (South Australia)  onde: Wine.com.br 

Oxford Landing GSM – (Barossa – South Australia) Onde: Sommelier Vinhos 

Cranswick Cabernet Sauvignon  2010 (South Australia)  –  Onde: Zona Sul Vinhos 

Coldstream Hills Pinot noir  - Onde: Mistral 

Element Sandalford 2005 (Western Australia) Onde: SmartbuyWines 

 

 

imagesÁudios da Semana

17/03 - Vinhos encorpados australianos estão sofrendo mudanças

18/03 - Vinhos australianos das regiões de Barossa e Coonawarra

19/03 - Região de Victoria, na Austrália, abriga uma espumantes e chardonnays muito interessantes

20/03 - Vinho Syrah vai bem com pratos que tenham molhos de fruta

Listinha Especial – Nova Zelândia – 10 de março

12 de março de 2014 por

Listinha Especial – Nova Zelândia – 10 de março

Villa Maria Pinot Gris Private Bin 2010 –  R$ 64,00 – onde: Vinci

Villa Maria Merlot – Cabernet Private Bin 2009 – R$ 63,21 - onde: Vinci

Riesling Marlborough YEALANDS WAY – R$ 52,32 – onde: Pão de Açúcar

Pinot Noir YEALANDS WAY – R$ 54,90 – onde: Pão de Açúcar

Saint Clair Vicar´s Choice Riesling – R$ 73,00 – onde: Emporium Dinis

Isabel Estate Pinot Noir 2005 – R$ 182,97 – onde: Mistral

Hunter’s Pinot Noir 2011 – R$ 138,51 – onde: Premium

Neudorf Chardonnay 2009 – R$ 148,65 – onde: Premium

Neudorf  Tom’s Block Pinot Noir 2007 - R$ 172,29 – onde: Premium

Áudios da Semana

images07/03 – Em visita ao extremo Norte da Nova Zelândia, uma parada essencial é o vale do rio Wairau

06/03 - O destaque da cidade de Nelson, na Nova Zelândia, é o Chardonnay

05/03 - Região de Marlborough, na Nova Zelândia, oferece o “Cloudy Day”, principal sauvignon blanc do país

04/03 - Em viagem pela Nova Zelândia, Alexandra fala sobre os vinhos do país

Merlot Elegante

5 de março de 2014 por

folha

Merlot Elegante

Há aproximadamente um ano, escrevi uma coluna também sobre a uva merlot. À época, discorria sobre sua capacidade de resultar em vinhos concentrados e expressivos e que, ao contrário do que estamos acostumados a pensar, isso não era exatamente sinônimo de vinho leve.

Hoje, no entanto, exalto o contrário: tenho encontrado cada vez mais estilos leves e elegantes de merlot, representando lindas expressões da uva e de diferentes origens.

Na última década, a merlot perdeu espaço nos EUA, um dos maiores mercados do planeta. Aos poucos, porém, produtores no mundo todo redescobrem seu potencial para vinhos elegantes. Ela não tem problemas de amadurecimento como a cabernet sauvignon, sua prima mais famosa, que precisa de verões bem quentes.

Apesar de a merlot resultar em vinhos concentrados e ricos em regiões mais quentes, ela amadurece bem em climas mais frescos.

Encontrei excelentes exemplares de zonas frescas entre alguns dos vinhos degustados, por exemplo, do Columbia Valley, no Estado de Washington (EUA), do Friuli, no norte da Itália, ou ainda um da Nova Zelândia (que, apesar da qualidade, não entrou na minha seleção). Em todos está bem impresso o estilo ao qual me refiro hoje: menos encorpado, mas não menos sério ou intenso.

O exemplar francês é feito com merlot de várias regiões, extremamente frutado, de prazer imediato.

Talvez o mais diferente seja o australiano, pela fruta madura no nariz, num estilo característico daquele país. Mesmo assim, tem uma leveza de fruta preta madura.

Facetas diferentes de uma mesma uva, com elementos de delicadeza em comum.

HOUSE OF INDEPENDENT PRODUCERS (HIP) MERLOT 2010
ORIGEM Columbia Valley (EUA)
Elegantíssimo, com aromas de fruta, canela, cedro e grafite muito fundidos. Boca cheia, firma e intensa
QUANTO R$ 105,34
ONDE Mistral (tel. 11/3372-3400)

LE PETIT PANIER MERLOT 2012
ORIGEM Vin de France (França)
Delicado, lembra groselha. Na boca é leve e fácil, com ótima fruta
QUANTO R$ 45
ONDE Vínica (tel. 11/4221-9107)

MANIAGO MERLOT 2010
ORIGEM Friuli (Itália)
Um toque floral, pouca fruta, algo de terra. Na boca é fresco, picante, com um final terroso
QUANTO R$ 64
ONDE Vinci (tel. 11/3130-4500)

HARDYS NOTTAGE HILL MERLOT 2012
ORIGEM Austrália
Estilo mais intenso. Lembra fruta vermelha madura e chocolate com menta. Na boca é frutado e cremoso
QUANTO R$ 66
ONDE wine.com.br

Listinha da Semana – 28 de fevereiro

28 de fevereiro de 2014 por

Listinha da semana – 28 de fevereiro

Chianti Risierva DOCG 2010 Piccini – R$ 66,18 – onde: Vinci

Monte Guelfo Chianti Classico DOCG 2011 – R$ 45,00 – onde: wine.com.br

Catedral Dão Reserva Tinto – R$ 37,60 – onde: Adega Brasil

Dão Álvaro Castro – R$ 69,00 – onde: Wine Commerce

Quinta da Garrida – R$ 45,00 – onde: Santa Luzia

Mâcon Thorin 2010 – R$ 55,00 – onde: Santa Luzia

Cellar Selection Hawke’s Bay Merlot 2011 Sileni Estates – R$ 86,80 – onde: Mistral

Le Petit Panier Merlot 2012 – R$ 45,00 – onde: Vínica

images

ÁUDIOS DA SEMANA
24/02 – Tintos leves para acompanhar a queda de temperatura nos últimos dias

25/02 - Região do Dão, em Portugal, tem vinhos tintos leves excelentes para pratos suculentos e com queijos

26/02 - Vinho tinto delicado da região do Beaujolais, na França

27/02 – Vinhos tintos suaves feitos com uvas Merlot cultivadas em clima frio

 

Uma uva versátil

26 de fevereiro de 2014 por

folha

Uma uva versátil

Beaujolais… “Bô-jô-lé”…
Quem realmente gosta de vinho dá um sorrisinho maroto de quem esconde um segredo. Quem acha que conhece vinho, faz cara feia.

A região de Beaujolais, na França, ficou famosa pelas propagandas festivas e barulhentas de promoção de seus vinhos “nouveau”.

Eram os anos 1970 e todo mundo achava que vinho bom tinha de envelhecer. Como não era o caso do beaujolais nouveau, apesar do bom
resultado da propaganda, não tardou para que fosse tido como um vinho não sério.

A fama da gamay, uva do Beaujolais, é antiga. No século 14, Felipe 2º, duque da Borgonha, proibiu a plantação da uva na região por ela
ser “muito produtiva”.

Mas, ei, vamos combinar: os tempos mudaram. Hoje, viticultores controlam tranquilamente a produção da gamay, entregando vinhos de
excelente concentração e muito sabor.

Há grandes expressões dela nos dez “crus” do Beaujolais -Morgon, Fleurie, St. Amour, Chiroubles, Régnié, Brouilly, Côtes de Brouilly, Juliénas, Chénas e Moulin a Vent.

No Mâcon, região no extremo sul da Borgonha, divisa com o Beaujolais, há vinhos bem frutados e com preços legais. O vale do Loire tem tintos de estilo bem magrinho, em geral, com menos fruta.

Fora do país de origem, dá um vinho frutado leve chamado Dôle, na Suíça. Na Nova Zelândia e na África do Sul há vinhedos pequeninos de produtores apaixonados.

Encontra-se meio espalhada na Austrália, em Israel, no Líbano, nos Estados Unidos, no Canadá e no Brasil.

Versátil, a gamay sempre surpreende pela sutileza.

Fleurie “Les Moriers” – M. Chignard 2011
ORIGEM Beaujolais
Nariz bem frutado, exuberante, delicado em boca, com fruta marcante
QUANTO R$ 75
ONDE Cellar (tel. 11/5531-2419)

La Superbe Rouge 2010
ORIGEM Borgonha
Cerejas e algo de terra fresca. Na boca, parece que mordi uma cereja geladinha bem ácida
QUANTO R$ 98
ONDE Ravin (tel. 11/5574-5789)

Woodthorpe Gamay Noir 2011 (Te Mata)
origem Nova Zelândia
Fechado, lembra champinhom e terra e demora para mostrar a fruta. Taninos fininhos, final tostado e cheio
QUANTO R$ 139
ONDE Mistral (tel. 11/3372-3400)

Mâcon – Thorin 2010
ORIGEM Borgonha
Um pouco de groselha nos aromas. Magrinho, refrescante e com boa fruta
QUANTO R$ 55
ONDE Santa Luzia (tel. 11/3897-5000)


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 180 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: